Águia-calçada recupera e é devolvida à natureza num momento muito especial

Partilha esta publicação

No final de outubro, o RIAS recebeu um vídeo de uma águia-calçada (Aquila pennata) praticamente imóvel num quintal. Sendo isto um sinal claro de que algo não estaria bem, foi feita a recolha do animal pela pessoa que a encontrou, e posterior transporte até ao RIAS pelo Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. 

Bastante debilitada e magra, apresentava uma ferida num dos dedos, e uma massa no papo, que após análise ao microscópio, revelou a presença de Trichomonas gallinae, um parasita protozoário que se multiplica no sistema digestivo superior de aves. Em fases avançadas, formam-se massas necróticas, que impedem o animal de se alimentar. 

Foi então feita a estabilização da ave, deu-se início ao tratamento, e foi feita a limpeza do ferimento na pata.


Mas por vezes, e sem nada o fazer antecipar, acontecem imprevistos, e ao longo da sua “estadia” no nosso centro, a ferida no dedo acabou por sofrer complicações. Este tecido começou a ficar necrótico, fazendo a equipa suspeitar de que se tratara de um ferimento causado por eletrocussão. Para que não avançasse mais, foi decidido amputar este dedo. Apesar disto, a intervenção não pôs em causa a sua capacidade de se alimentar. 

Também a massa no papo exigiu cuidados redobrados. Na tentativa de expulsá-la do corpo, o sistema da ave criou uma fístula até ao exterior (essencialmente, abriu um oríficio), necessitando de intervenção cirúrgica para limpar e suturar este ferimento.

Ao longo de semanas, a sua evolução começou a ser bem mais positiva, até não precisar de ser monitorizada constantemente, e por isso, pôde ser transferida para uma instalação exterior. Aqui foi feita fisioterapia, monitorização de comportamento e confirmação de que continuava a alimentar-se sozinha.




Depois de tudo o que já tínhamos feito por esta águia, nada mais havia a fazer, a não ser … libertá-la e dar-lhe uma nova oportunidade.


Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€