Bútio-vespeiro ingressa no RIAS por tentativa de abate a tiro!!

Partilha esta publicação

Desde 2016 que não havia ingressos de bútio-vespeiro (Pernis apivorus) no RIAS. No entanto, há cerca de 10 dias atrás, foi recolhido um novo espécime pelo SEPNA de Aljustrel e transportado pelos Vigilantes da Natureza do Parque Natural do Vale do Guadiana até ao nosso centro.


Já na nossa clínica, foi examinado pela equipa veterinária, onde foram observados ferimentos perfurantes com hematoma no metacarpo esquerdo, e sub-luxação do pulso. Devido às lesões encontradas, foi realizado um exame radiológico, onde  foi possível observar 2 projéteis de caçadeira (no crânio e no tórax), sendo que um terceiro projétil terá atravessado a asa, causando os ferimentos observados no metacarpo.

Foi então colocada uma tala e uma ligadura na asa em questão, e a ave colocada numa instalação interior para ser vigiada de perto nesta fase mais crítica. Foi ainda administrado antibiótico para prevenir possíveis infeções.

Atualmente já apresenta melhorias e está em instalações exteriores, onde irá realizar fisioterapia, de forma a recuperar a forma física.


                                                                                                                      

Esta é uma espécie considerada ‘Vulnerável’ em Portugal, sendo que as maiores ameaças são:

– A destruição de áreas florestais autóctones maduras, através de práticas florestais
inadequadas, exploração madeireira e incêndios, que induz a perda de habitat de nidificação. 

– A plantação mono-florestal em áreas extensas, com erradicação de maciços arbóreos
autóctones, reduz a disponibilidade de habitat de nidificação e alimentação. 

– A perseguição humana através do abate a tiro, motivada por conflitos associados ao
comportamento predatório de espécies semelhantes, constitui um importante factor de
mortalidade desta espécie. 


Com isto, relembramos que o abate a tiro é um ato ilegal, e por isso, punível por lei!


Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!