Devoluções à Natureza de dia 2 de Agosto

Partilha esta publicação

Devolução à Natureza de um cuco-canoro (Cuculus canorus)duas cegonhas-brancas (Ciconia ciconia), um cágado-mediterrânico (Mauremys leprosa) e um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)     
Quinta de Marim – Olhão
2 de Agosto de 2018






Foi devolvido à Natureza um cuco-canoro que ingressou no RIAS por ter sido encontrado após cair do seu ninho. A sua recuperação consistiu, numa primeira fase, na disponibilização de alimento adequando em abundância, seguido de um período de treinos de voo juntamente com aves na mesma espécie. Assim que começou a alimentar-se sozinho e a voar perfeitamente, foi devolvido à Natureza. 

As duas cegonhas-brancas também ingressaram por terem caído dos seus ninhos. Uma das cegonhas fracturou uma clavícula aquando da queda do ninho, dificultando desta forma o processo de recuperação. 






No caso destas duas aves, a fase mais importante da sua recuperação foi o treino de voo numa, instalação onde estavam outras cegonhas em recuperação. Assim que começaram a voar em perfeitas condições e a alimentar-se sozinhas foram devolvidas à Natureza.



Um cágado-mediterrânico foi devolvido à Natureza proveniente de uma situação de cativeiro ilegal. Por ter passado um grande período em cativeiro eram visíveis as mazelas no seu corpo causadas por uma má nutrição e instalações inadequadas. 






O processo de recuperação consistiu em tratamentos para fungos e bactérias presentes nas escamas deste cágado. Terminado o tratamento, e como este animal se alimentava sozinho, foi finalmente devolvido à Natureza.



Foi também devolvido à Natureza um ouriço-cacheiro que ingressou no RIAS por ter sido encontrado ainda cria. Este animal só pôde ser libertado após ter atingido uma condição física que nos permitisse ter garantia que sobreviveria na Natureza. 


Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€