Devoluções à Natureza de dia 22 de Dezembro

Partilha esta publicação

Devolução à Natureza de 3 Grifos (Gyps fulvus)
Alcaria Ruiva – Mértola
22 de Dezembro de 2014




Três grifos foram encontrados por particulares, em Monchique e Faro, que os encaminharam para o RIAS através da GNR-SEPNA e dos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa. 
Dois destes abutres ingressaram no centro com debilidade, tendo a sua recuperação sido baseada na administração de fluídos e disponibilização de comida até restabelecerem as forças.
O último grifo deu entrada no RIAS com ferimentos bastante grandes e infectados na zona da barriga. Pela forma das lesões pensamos que terá sido vítima de disparo. Inicialmente foi necessário proceder à limpeza profunda e colocação de pensos nas feridas. Depois de controlada a infecção foi preciso suturar as feridas tendo-se procedido a uma intervenção cirurgica, e manteve-se a tomar anti-inflamatório e antibiótico até que as feridas sarassem completamente.
Na última etapa da recuperação todos os grifos foram submetidos a treinos de voo, tendo sido devolvidos à natureza pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa.


Devolução à Natureza de 2 milheirinhas (Serinus serinus), 1 verdilhão (Carduelis chloris) e 1 pintassilgo (Carduelis carduelis)
Quinta de Marim – Olhão
22 de Dezembro de 2014




Estes passeriformes foram encaminhados para o RIAS pela GNR-SEPNA de Faro, após terem sido confiscados no âmbito de uma apreensão. Como não apresentavam lesões nem comportamentos estranhos às espécies foram imediatamente libertados pelos GNR’s que os entregaram.
Mais uma vez aproveitamos esta apreensão para reforçar que é ilegal apanhar e/ou manter em cativeiro qualquer animal da nossa fauna selvagem. Para mais informações sobre a campanha “Diga NÃO aos passarinhos na gaiola e no prato” clique aqui.

Devolução à Natureza de um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus)
Quinta de Marim – Olhão
22 de Dezembro de 2014


Uma cria de ouriço-cacheiro foi encaminhada para o RIAS após ter sido encontrada por um particular na zona do Ludo. A sua recuperação consistiu na disponibilização de comida e água, bem como controlo de peso. Após ter atingido um peso razoável para a espécie foi devolvido à natureza por quem o encontrou que o baptizou de “Tommy”.




Devolução à Natureza de dois mochos-galegos (Athene noctua)
Quinta de Marim – Olhão
22 de Dezembro de 2014




Estes mochos-galegos foram encontrados em Beja e Mértola, e encaminhados para o RIAS pelos vigilantes do Parque Natural do Vale do Guadiana e SEPNA de Beja.
Um deles aparentava estar ligeiramente deprimido e com reacção nas pupilas muito lenta, pelo que suspeitamos que teria um traumatismo craniano. A sua recuperação consistiu na administração de antibiótico e anti-inflamatório e disponibilização de comida.

O outro mocho apresentava uma fractura exposta numa das patas pelo que foi necessário proceder à sua imobilização, administração de anti-inflamatório e antibiótico até que a fractura sarasse. Posteriormente foi submetido a exercícios de fisioterapia até que o movimento nos dedos se mostrasse normal.
Na última fase da recuperação foram ambos submetidos a treinos de voo e caça, tendo sido devolvidos à natureza por um técnico do RIAS.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€