Devoluções à Natureza de dia 30 de Outubro de 2014

Partilha esta publicação

Devolução à natureza de uma andorinha-dáurica (Cecropis daurica)
Quinta de Marim – Olhão
30 de Outubro de 2014


Um andorinha-dáurica foi encontrada em Lagos por um particular e encaminhada para o RIAS pelo SEPNA de Portimão. Ingressou no centro com uma luxação numa das asa e sintomas de traumatismo craniano, tendo a sua recuperação consistido na imobilização da asa e administração de anti-inflamatório. Já com a asa recuperada foi submetida a treinos de voo, tendo sido libertada por uma técnica do RIAS.



Devolução à Natureza de um camaleão-comum (Chamaeleo Chamaeleon)
Quinta de Marim – Olhão
30 de Outubro de 2014


Este camaleão-comum ingressou no RIAS após ter sido encontrado por um particular num jardim da cidade de Olhão. Apesar de muito pequeno, o camaleão estava em perfeitas condições para sobreviver, pois estes animais são totalmente independentes a partir do momento em que eclodem.  Foi devolvido à natureza por uma técnica do RIAS e baptizado de “A cor do camaleão” em homenagem a quem o apadrinhou (Empresa A Cor do Camaleão).







Devolução à Natureza de três gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e uma gaivota-d’asa-escura (Larus fuscus)
Quinta de Marim – Olhão
30 de Outubro de 2014






Todas estas gaivotas ingressaram no RIAS por diferentes causas, tendo sido encaminhadas para o centro pelos vigilantes do Parque Natural da Ria Formosa.

Uma das gaivotas-de-patas-amarelas ingressou com sintomas de uma doença que as deixa muito debilitadas, o que a impedia de se levantar e alimentar sozinha. Assim o seu tratamento baseou-se na administração de fluídos e alimentação assistida, até que o conseguisse fazer por si.

A segunda gaivota tinha um fio de pesca a envolver uma das asas, já com feridas na pele, tendo sido necessário proceder à remoção do fio, desinfecção das lesões e administração de anti-inflamatórios.

A última gaivota-de-patas-amarelas foi encontrada muito jovem, com a plumagem muito pouco desenvolvida. Foi necessário alimentá-la e controlar o peso até que crescessem todas as penas necessárias ao voo.

A gaivota-de-asa-escura tinha uma das patas com várias lesões, tendo-se procedido à imobilização da pata e administração de anti-inflamatório.

Posteriormente todas as gaivotas foram sujeitas a treinos de voo, tendo sido devolvidas à natureza por um técnico e uma voluntária do RIAS. 

Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€