Duas gaivotas-d’asa-escura recuperadas e anilhadas no RIAS, seguidas pelas suas anilhas coloridas

Partilha esta publicação

No final de janeiro de 2017, foram anilhadas várias gaivotas, prontas a serem libertadas. Nesta altura, para além das anilhas metálicas, as gaivotas foram também marcadas com anilhas coloridas, para facilitar a identificação desse animal.

Nos meses seguintes, uma das gaivotas-d’asa-escura (Larus fuscus) libertadas, a F943foi observada na região de Portimão.

Fotografia tirada em 2017, em Portimão, e cedida por Carl Baggot


Mas sendo uma espécie migradora, não nos surpreendemos quando, em 2018, recebemos imagens desta ave no Reino Unido e nos Países Baixos.

Desde então, esta “nossa” amiga, agora com plumagem completa de adulto, tem sido observada todos os anos na região de Beccles, no Reino Unido, e este ano não foi exceção.


Fotografia tirada em 2022, em Beccles (Reino Unido), e cedida por Richard Walden


Uma outra gaivota-d’asa-escura, anilhada em 2016 com a marca F923, tem sido observada todos os anos em Portugal, mas em maio do ano passado foi vista em Inchkeith, também no Reino Unido.

Mais tarde, em novembro foi observada novamente em Portugal, mais especificamente nas salinas de Olhão, e este ano já foi registada a sua presença novamente em Inchkeith.

Este é um caso bastante peculiar, pois esta gaivota chegou ao nosso centro com uma fratura na pata direita, que exigiu intervenção cirúrgica para amputação. Mas apesar deste contratempo, não deixou de seguir o seu rumo, tendo já sido observada a nidificar.


Fotografia tirada em 2021, em Inchkeith (Reino Unido), e cedida por Ron Morris

Fotografia tirada em 2022, em Inchkeith (Reino Unido) perto do local de nidificação, e cedida por Ron Morris

Estes são apenas dois casos que demonstram a importância da anilhagem e marcação como forma de estudar os seus padrões de migração, e eventualmente conhecer melhor a longevidade etária de uma determinada espécie.


A laranja – gaivota F943. A roxo –  gaivota F923 .

Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!