Metade dos ingressos na semana passada corresponderam a gaivotas

Partilha esta publicação

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) publicou, na passada sexta-feira, um comunicado de interdição de apanha e comercialização de várias espécies de moluscos bivalves no litoral algarvio, de São Vicente a Olhão. O motivo desta interdição prende-se com a presença de elevados níveis de biotoxinas paralisantes que, através da ingestão do bivalve, podem causar intoxicação.

Embora nós, humanos, estejamos conscientes e informados deste perigo, o mesmo não acontece com os outros animais e, por esse motivo provável, cerca de metade dos animais ingressados no RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens na semana passada foram gaivotas com um quadro clínico consistente com paresia. Estas gaivotas, algumas delas mortas, encontravam-se magras e desidratadas, e apresentavam sinais clínicos de depressão do estado mental, diarreia, e fraqueza muscular generalizada, normalmente observada na paralisia das patas.

Gaivotas em recuperação em câmara de muda no RIAS.



No total, deram entrada 55 animais no RIAS durante a semana passada, e para além de nove gaivotas-de-patas amarelas (Larus michahellis) e 21 gaivotas-d’asa-escura (Larus fuscus), contam-se uma cegonha (Ciconia ciconia) com um trauma, um juvenil de grifo (Gyps fulvus) debilitado, um ouriço-cacheiro (Erinaceus europaeus) com suspeitas de doença, e um coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus) com mixomatose, entre outros casos.


Coelho-bravo com mixomatose, actualmente em recuperação no RIAS.





Por outro lado, o RIAS também abriu as portas para a libertação de vários animais recuperados. Um coelho-bravo ingressado com mixomatose no dia 6 de setembro, teve uma recuperação notável com o auxílio de fluidoterapia e antibióticos, e foi libertado pela menina que o apadrinhou. Foram também libertadas duas rolas-turcas (Streptopelia decaocto) encontradas aqui bem perto, em Quelfes, e que haviam caído do ninho. A marcar o final da semana, realizou-se o primeiro SÁBADO VIVO, um evento no qual se devolveram à natureza quatro animais selvagens!


Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€