Muitos animais ingressados, algumas aves libertadas

Partilha esta publicação

Na semana passada, o número de animais que ingressaram no RIAS – Centro de
Recuperação e Investigação de Animais Selvagens excedeu novamente o número de
animais libertados. Logo no Domingo, enquanto em Sagres um
peneireiro-vulgar era devolvido à natureza durante o Festival de Observação de
Aves e Actividades de Natureza, na Quinta de Marim cinco animais doentes ou feridos davam entrada nas
instalações do RIAS. Ao longo da semana, foram admitidos 63 animais no
RIAS, na sua maioria aves mas também quatro mamíferos. Embora 12 destes animais nos
tivessem sido entregues sem vida, estes casos são importantes para que no RIAS
sejam investigados os factores de risco para a conservação das populações
selvagens destas espécies.


Cria de ouriço-cacheiro que ingressou no RIAS no dia 7 de Outubro.

A captura e abate ou cativeiro ilegal constitui
uma grave ameaça à conservação de muitos aves, nomeadamente passeriformes. A lei institui a
aplicação de coimas para estes casos, e caso tenha conhecimento de alguma
situação deve denunciar a ocorrência ao Serviço de Proteção da Natureza e
Ambiente (SEPNA/GNR). As situações em que a lei é aplicada são ainda uma minoria
face à realidade nacional e, muitas vezes, quem captura aves continua a fazê-lo pensando
que as suas acções ficarão impunes. Em consequência de uma apreensão realizada
pelo SEPNA/GNR de Tavira a um particularna sexta-feira foram-nos entregues 17 aves engaioladas. Estas incluíam seis espécies de fringilídeos da
avifauna selvagem de Portugal! Alguns pintassilgos, verdilhões, e um pintarroxo foram libertados imediatamente após o diagnóstico clínico, contudo duas milheirinhas, um tentilhão, um lugre, um pintarroxo e alguns pintassilgos e verdilhões permanecem em
recuperação no RIAS, uma vez que as suas penas de vôo se apresentavam
danificadas.
 Devolução à natureza de algumas aves apreendidas pelo SEPNA/GNR de Tavira.

Várias aves em recuperação no RIAS foram também devolvidas
à natureza durante a última semana. Na terça-feira foi realizada a libertação
conjunta de três gaivotas-de-patas-amarelas e duas gaivotas-d’asa escura, que
ingressaram no RIAS neste final do verão e início de outono. No mesmo dia, um
pato-trombeteiro que esteve em recuperação no RIAS durante cerca de um mês e meio, pôde voar
para junto de outros patos, incluindo vários conspecíficos que invernam na
lagoa da Quinta de Marim.

Devolução à natureza de um pato-trombeteiro junto à lagoa da Quinta de Marim.

Também uma cria de andorinhão-pálido que nos foi
entregue após queda do ninho e foi alimentada quase incessantemente durante 15 dias,
oferecendo-lhe larvas de insectos numa pinça, foi libertada e na quarta-feira
pôde iniciar uma nova grande aventura… a sua primeira migração!

Devolução à natureza de uma cria de andorinhão pálido que esteve 15 em recuperação no RIAS.



Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€