Ingressam os primeiros passeriformes invernantes

Partilha esta publicação

Os primeiros passeriformes invernantes chegaram ao RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens no final de Outubro, tendo ingressado durante a última semana dois tordos-comuns (Turdus philomelos) e um estorninho-malhado (Sturnus vulgaris). Estas aves chegam-nos fragilizadas pela viagem migratória, sendo contudo desconhecida a verdadeira causa de ingresso. Embora não tenha sido possível recuperar duas delas, estando uma já morta aquando da entrega e tendo outra sucumbido durante a primeira noite de internamento, um dos tordos encontra-se actualmente em reabilitação de uma incapacidade de voar devido a um trauma na asa esquerda.

Tordo-comum com a asa esquerda imobilizada após ter ingressado com um trauma.


Estes foram apenas três registos, dentre os 38 animais (36 aves, 2 mamíferos) admitidos no RIAS durante a semana passada. Uma semana onde se inclui o caso ditoso de uma coruja-do-mato (Strix aluco) que sobreviveu a uma electrocussão em linha eléctrica, embora com lesões na asa direita. Esta encontra-se em recuperação, tendo-lhe sido untada pomada para queimaduras e aplicado um penso de Aloe vera sobre o pulso para evitar a necrose da asa afectada, contudo mantemos-nos apreensivos face à sua reabilitação, pois sabemos que a taxa de libertação de aves electrocutadas é baixa.

Coruja-do-mato ingressada por causa de electrocussão.



No que respeita às libertações, estas não decorreram apenas no SÁBADO LIVRE, e quem passou junto ao RIAS na sexta-feira terá fortuitamente coincidido, e até participado, na devolução à natureza de inúmeras gaivotas, que estiveram em reabilitação durante os meses de Setembro e Outubro. 



Captura de gaivotas na câmara de muda para serem devolvidas à natureza.
















Estas libertações decorreram, mais ou menos, durante toda a tarde, e, no total, foram libertadas 13 gaivotas-de-patas-amarelas (Larus michahellis) e 18 gaivotas-d’asa-escura (Larus fuscus).


Devolução à natureza de oito gaivotas ao início da tarde de sexta-feira. 
















Somando todos os números e comparando os registos de entradas e saídas na base de dados, constatamos que se tratou de uma semana excepcional, na qual as devoluções à natureza quase equipararam os ingressos de novos animais!

Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!