Uma nova espécie de mamífero em reabilitação no RIAS

Partilha esta publicação

Entre os vinte e dois animais admitidos no RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens durante a primeira semana de novembro, um pertencia a uma espécie nunca registada nos nossos ingressos: o morcego-hortelão-escuro (Eptesicus serotinus).

Morcego-hortelão-escuro que sobreviveu à predação por um cão doméstico e se encontra em reabilitação.


Este  animal foi resgatado a tempo da boca de um cão doméstico, mas está incapacitado de voar devido a uma luxação grave no pulso da asa esquerda. Tendo em vista a sua reabilitação, está a ser tratado com antibiótico e anti-inflamatório ao mesmo tempo que é alimentado com larvas de insetos em abundância.



Em Portugal, os morcegos são principalmente insetívoros, podendo ingerir diariamente mais de metade do seu peso em insetos. Uma única colónia de
morcegos chega a consumir anualmente meia tonelada de insetos, sendo por isso elementos-chave no equilíbrio dos ecossistemas. 
O
morcego-hortelão-escuro é uma espécie de porte médio. 
As orelhas e as membranas alares são castanho escuras, o corpo mede
cerca de 7cm e pesa entre 18 e
25g – o indivíduo em recuperação no RIAS pesou 18,7g no momento do ingresso. 
A maturidade sexual das fêmeas e machos é atingida no primeiro ano de idade, sendo que esta espécie pode ter uma longevidade superior a 15 anos. Alimenta-se
principalmente de borboletas noturnas e escaravelhos que captura em voo,
pousadas em ramos ou no solo, e
 abriga-se em edifícios, mas pode também ser encontrado em pontes,
cavidades de árvores e fendas de rochas.

Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!

Opções de Apadrinhamento

Cabanas: 150€

Tavira: 250€

Armona: 450€

Culatra: Sob consulta

Deserta: 1500€