Uma semana mais com ingressos de migradores estivais

Partilha esta publicação

Enquanto hospital de fauna selvagem, o trabalho do RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens consiste na recepção e
tratamento de animais que são encontrados feridos ou debilitados e posterior
libertação. Na última semana, foram admitidos 64 animais no RIAS, dentre os quais um ouriço-cacheiro, recebido no Sábado, foi o único registo que não correspondeu a aves. 



Embora estejamos quase no final de Outubro, e a época de migração outonal já avançada, ainda deu entrada no RIAS um noitibó-cinzento. Esperamos que este indivíduo, que se encontra internado devido a um trauma, recupere rápido para poder chegar ao destino da sua migração, em África. Por outro lado, um noitibó-de-nuca-vermelha foi devolvido à natureza na passada terça-feira. À semelhança do seu congénere, o noitibó-cinzento, também esta é uma espécie estival em Portugal e, por isso, o indivíduo libertado seguiu certamente na sua rota migratória para Sul. 

Devolução à natureza de um noitibó-de-nuca-vermelha, na passada terça-feira.



Outras três aves foram devolvidas à natureza, pertencentes a três espécies distintas. Uma rola-turca e uma garça-boieira foram recebidas enquanto crias e agora libertadas, uma vez concluído o seu desenvolvimento. A outra ave foi um guincho-comum que esteve quase um mês ingressado devido a síndrome parético, tendo beneficiado de fluídos e de papas nutritivas durante a sua recuperação.

Garça-boieira libertada junto ao moinho de maré da Quinta de Marim.

O trabalho de recuperação tem um impacto imediato
no bem-estar e sobrevivência de cada animal que passa pelo RIAS e, no caso das aves migradoras estivais, é importante que a sua recuperação seja breve de modo a que prossigam a sua viagem de imediato. Caso não consigam recuperar a tempo, estas aves são mantidas no RIAS pelo menos até ao regresso primaveril dos indivíduos da sua espécie.

Últimas Publicações

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Encontrou um animal selvagem ferido?

Não deverá dar água ou comida, pois pode estar a comprometer a recuperação do animal.

Não esclarecemos todas as suas dúvidas?

Loja

O RIAS tem disponíveis vários produtos para venda no nosso centro, em Olhão. Mas pode também adquirir alguns produtos sem se deslocar até ao RIAS!

Voluntariado e Estágios

Os voluntários desempenham um papel imprescindível no funcionamento do RIAS.

Desde 2009, o nosso centro já contou com o apoio de mais de 1.000 voluntários/estagiários.

Tarefas gerais do voluntário

Condições gerais

Se queres trabalhar com fauna selvagem, envia-nos o teu currículo e as datas de voluntariado / estágio através  do nosso formulário de contacto.

Donativos

Os donativos monetários são vitais para melhorias nas instalações e custos associados aos animais em recuperação.

A sua contribuição faz a diferença.

para 927 659 313

IBAN: PT50 0035 0555 0004 8770 8302 8
BIC SWIFT: CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Olhão)

Entregue presencialmente à equipa do RIAS, nas nossas instalações ou durante algum evento.

Se pretender fatura, entre em contacto connosco.

Angariação de material

Contribua com doações de materiais essenciais para a higiene, limpeza e alimentação dos animais no RIAS.

Por favor, contacte-nos previamente para agendar a entrega dos bens.

Apadrinhamento

O apadrinhamento de um animal selvagem em recuperação no RIAS consiste numa contribuição simbólica, e dá-lhe a possibilidade de assistir à devolução à natureza do seu afilhado!

Torne-se um membro ativo na recuperação de animais selvagens em Portugal!

Simples

Valor mínimo:  35€

Super Padrinho

Valor mínimo:  50€

Devolução de animal no RIAS

Valor: (2,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos)

Devolução de animal na escola ou imediações

Valor: (3,50€/aluno, ou mínimo equivalente a 15 alunos) + Deslocação para escolas fora do concelho de Olhão

Faça da sua empresa um apoiante para a causa da conservação de fauna selvagem em Portugal. Apadrinhe!